(31) 2512-3329 | 2511-8836

O que é uma composteira e como elas podem revolucionar a lógica do resíduo orgânico

De todo o resíduo que nós produzimos, mais da metade é aquele que chamamos de orgânico: restos e cascas de alimentos, basicamente. Todo esse material acaba indo para os aterros sanitários e se degradando de forma inadequada, gerando mau cheiro, atraindo animais que podem causar doenças e aumentando o risco de contaminação de água e solos (por conta do chorume).

Quase todo esse resíduo orgânico poderia ser tratado nas casas das pessoas, através de um processo de compostagem, que possibilita que ele retorne, em forma de adubo, à natureza. A compostagem é um processo ainda não muito conhecido, mas que vem ganhando cada vez mais adeptos. Um dos jeitos mais comuns de fazer compostagem caseira é com a ajuda das minhocas, que comem o material orgânico e o transforma em húmus, um adubo riquíssimo em nutrientes.

Um projeto incrível chamado Composta São Paulo foi criado para estimular esse tipo de reciclagem de orgânicos. Através de uma chamada pública onde as pessoas se inscreviam e as famílias selecionadas ganhavam composteiras e suporte para aprender como usá-la. O site agora tem os resultados desse projeto e algumas respostas a muitas dúvidas que normalmente temos. Usamos algumas dessas informações como base para esse post.

Abaixo, vamos explicar um pouco o que é e como funciona a composteira de minhocas normalmente usadas em residências, como é simples de fazer em casa e diminuir a quantidade de lixo que você e sua família mandam diariamente para o aterro sanitário.

O que é uma composteira de minhocas?

Uma composteira é o lugar onde vai acontecer a compostagem, que acabamos de falar. É onde você vai colocar o material orgânico e, dependendo do tipo de composteira, a decomposição vai acontecer com ajuda do calor, das minhocas ou outra coisa (existem vários tipos).

Uma composteira com minhocas precisa de, no mínimo, três andares: o terceiro, onde o resíduo orgânico vai sendo depositado e coberto com o material seco (serragem e folhas secas) e, quando cheio, fica em repouso por cerca de um mês. Durante esse tempo de repouso, o segundo andar vira o terceiro e começa o ciclo de novo. Estes dois andares são onde acontece a compostagem do material. O primeiro andar é o que recolhe o líquido que escorre (os andares são intercalados com furinho para o líquido descer, e as minhocas se movimentarem).

No final desses trinta dias, o chamado período de repouso, o material que sobra é um húmus, que parece terra, muito nutritivo para as plantas e com cheirinho de terra molhada. Nada disso dá mau cheiro, se tudo for feito corretamente. O excesso de umidade pode facilitar a criação de mosquinhas, por isso é importante cobrir tudo muito bem com serragem. Além das minhocas, acabam aparecendo outros bichinhos pequenos, como formiguinhas, que também ajudam no processo de decomposição dos alimentos. É tudo limpo e, seguindo todas as etapas, não há risco nenhum de contaminação.

Por serem recipientes, existem tamanhos de acordo com a produção de resíduo e o número de pessoas da sua casa. Esse tipo de composteira é ideal para quem mora em apartamento e não tem quintal para enterrar os restos de alimentos.

O que pode e o que não pode ir numa composteira?

Algumas coisas têm passe livre, outras pode só de vez em quando e outras são proibidas de colocar numa composteira de minhocas.

O que pode sempre: frutas, verduras, legumes, grãos, sementes, saquinhos de chá, erva de chimarrão, borra e filtro de café e cascas de ovos.

O que pode de vez em quando: frutas cítricas, laticínios, comidas cozidas, guardanapos e flores ou ervas medicinas.

O que não pode: carnes, limão, temperos fortes (alho, pimenta, cebola), líquidos (iogurte, caldos, sopas, etc), óleos e gorduras, fezes de animais domésticos e papel higiênico.

Para ajudar no processo, o ideal é não colocar as cascas dos restos de alimentos sem dar uma cortadinha em pedaços menores. Não é nada gourmet, é só para os pedaços ficarem um pouco menores mesmo.

Como é ter uma composteira em casa?

Eu tenho uma composteira desde o começo do ano e me sinto muito feliz em não precisar mais jogar os restos de comida fora. A primeira coisa que achamos é que ela vai dar um mau cheiro horrível e infestar a casa, certo? Mas não dá. Se tudo for feito direitinho, fica com um cheiro de terra molhada. As minhocas vão se reproduzindo, crescendo e é possível vê-las se escondendo da luz cada vez que nós abrimos a tampa (eu acho isso muito legal, para quem tem criança em casa é um ótimo jeito de entender a natureza).

Em um primeiro momento, a ansiedade fica toda por conta de ver o resíduo sendo processado. Mas como é um processo lento, pode ser meio frustrante no começo. Você precisa de mais ou menos uma ou duas semanas para ver alguma diferença nesse processo de decomposição. Além disso, passei a cuidar muito mais do desperdício de comida, até mesmo para controlar a quantidade de resíduo e não encher os andares e ficar sem espaço.

Fonte: modefica.

Fechar Menu